1 de maio de 2007

Fumar ou não fumar.... eis a questão


Segundo os noticiários das 20h00, amanhã vai ser discutida no parlamento a nova lei anti-tabaco que, resumidamente, proíbe a venda de tabaco a menores de 18 anos, a total proibição de fumar em locais frequentados por jovens com menos de 16 anos, a proibição de se fumar nos locais de trabalho - excepto ao ar livre - e a proibição de qualquer publicidade ao tabaco . Fica ainda a proibição de se fumar em restaurantes, bares, discotecas, hospitais e quaisqueres locais públicos fechados [viram quantas vezes utilizei a palavra proibição? ups, mais uma!]. As multas, se esta lei for aprovada, variam entre os 50 e os 2500(sim, leram bem, dois mil e quinhentos) euros.

Ora, eu não sou fumadora, muito menos viciada, mas também nao concordo com esta radicalidade. É certo que é muito incómodo estar com os amigos no café e levar com o fumo alheio, ou sair de uma discoteca sem quase poder respirar, mas também não podemos proibir as pessoas que fumam de frequentarem sitios de lazer, como o café, os bares, etc. Concordo que nos hospitais seja proibido fumar e quem o quiser fazer pegue em si e vá fazê.lo para a rua, mas acho que as zonas que já existem em muitos restaurantes para não fumadores (e seus acompanhantes), sejam criadas no resto dos espaços públicos, para que fume passivamente apenas quem quiser. Deve sair do bolso de cada discoteca / bar, a construção de umas paredes que façam uma sala onde as pessoas possam ir fumar quando bem lhes apetecer, e depois voltar para o "ar puro", onde estão aqueles que decidiram não fumar. Quanto aos locais de trabalho, devia ser também iniciativa das próprias empresas de criar uma "zona fumadora", já que o tabaco acalma muito stress e ajuda à concentração dos empregados fumadores. Para os locais públicos pequenos, pois que vão fumar para a rua, que não custa assim tanto.
Isto seria, claro, se eu fosse a ministra ou deputada. Como sou só pseudo-futura jornalista, vamos ver que lei nos espera!

P.S.: Faltam menos de dois dias para entregar a reportagem sobre um jardim de infância. Desejem.me sorte e criatividade para uma conclusão de ouro, meus amigos!!

4 comentários:

Cαtiα disse...

olha a mim só me interessa é q deixem de fumar nos corredores da ESCS! Uma pessoa só de passagem fica com um xeiro nos "intervalos"! Aquela salinha nc mais tá construida? Andamos nós a pagar para xegarmos ao fim do curso e aquilo ainda estar em obras :P

Inês disse...

Sofia, eu sei que pode parecer estranho mas quando for posto em prática vais ver que é fantástico. Eu vivi 6 meses em Itália e eles lá (assim como já em outros países da europa) usam este sistema e a diferença é incrível. Comes melhor, respiras melhor, chegas a casa depois de sair à noite e o teu cabelo e roupa não cheiram a tabaco. Sem contar que os olhos não ficam vermelhos com a fumarada toda.
Eu não fumo mas amigos meus que fumavam não se importaram nada por ter sítios próprios para fumar. Dizem que se sentiam muito melhor e que o ambiente nos cafés e discotecas era muito melhor.
As mudanças são sempre estranhas mas daqui a 1 ano espero que leias o teu post com outros olhos ;)

Pedro de Payalvo disse...

tive mesmo agora uma sensação nova, estou a ler o teu blog e recebi uma msg do gmail a dizer que me deixaste um comentário...
Sobre isto do tabaco, eu digo-te que nunca experimentei tabaco, mas eu concordo que seja proibido fumar em sitios fechados, não sei se acontece a mais alguém, mas sinto-me um iman do fumo... sempre que tenho alguém a fumar perto de mim, o fumo vem ter comigo, já fiz o teste, mais de uma vez, e mudei de sitio, e o fumo seguiu-me... e concordo porque esta é uma daquelas situações de; a liberdade dos outros acaba onde começa a minha... porque nisto das proibições aos vicios até sou muito liberal, eu acho que se deviam legalizar todos os vicios, depois a escolha era de cada um... ainda vou escrever um post sobre isto, com mais pormenores... quando estiver para aí virado...

Laura disse...

Olá, Sofia!
esses dados aqui são fiáveis pois são da OMS. O Chile é o país do mundo com o maior consumo de tabaco entre as mulheres, segundo dados de 2007 da Organização Mundial de Saúde (OMS). Pelo menos 37% das chilenas fumam – uma porcentagem que está aumentando – e as razões para isso vão desde as que consideram um “direito” e uma igualdade de gênero até motivos mais emocionais. Em segundo lugar vem Portugal com pelo menos 35% das mulheres fumantes e praticamente pelas mesmas razões. O terceiro país do mundo com o maior consumo de tabaco entre as mulheres é a França, porém, segundo a mesma fonte, por razões diferentes das precedentes. As francesas declaram fumar por prazer, além de considerarem um "direito político" de o fazerem.

È lamentável que, apesar do reconhecido prejuízo que o tabaco porta à saúde das pessoas e dos esforços das organizações sanitárias junto aos governos, uma grande parte da população continue surda aos riscos do tabagismo e a suicidarem-se lentamente. A OMS designa as mulheres da India como as que menos fumam tabaco no mundo, ou seja, somente 6% delas. Um exemplo que poderia ser seguido pelas mulheres das chamadas "sociedades modernas".

Pensemos melhor e é possívelq ue chegaremos a uma mesma conclusão.

Beijinhos.