28 de julho de 2008

Aqui fica parte do melhor post que li sobre sexo e relações:


Eles, quando pretendem sexo sem compromisso, raramente o dizem. É possível que o demonstrem de uma forma ou de outra, mas não o dizem por A+B, na cara. Andam às voltas, tentam demonstrar, mantêm a distância, mas não o assumem. (...)
E quando são elas a querer sexo sem compromisso? O primeiro erro é pôr as cartas na mesa. A maior parte das mulheres não tem paciência para andar às voltas com gajos que querem só levar para a cama. (...)
Eles até podem desconfiar que estão a ser usados para os prazeres da alcova, mas daí a aceitarem isso de ânimo leve, quando lhes é dito na cara, vai uma volta ao Mundo. Os homens, diz-me a experiência (a própria e a adquirida com anos e anos de desabafos), não gostam de perder o controlo da situação. É contra natura. É quando os queremos para o sexo (não na generalidade, apenas na maioria dos casos) que eles insistem em fazer uma de duas coisas: tentar fazer com que nos apaixonemos por eles ou fazer todos os possíveis para não demonstrar um pequeno fio de sentimento.
A enxotar a miúda em questão. A ter o controlo da situação, a puxar os cordéis como querem e quando querem. O inverso nos papéis obriga-os a repensar toda a estratégia. E isso baralha. Para fazer a mulher cair na deles, são capazes de se transformar numas melgas. Mas, atenção, eles não estão apaixonados. Apenas não estão dispostos a ser o objecto. A segunda torna-os estranhos. Uma mulher que só quer sexo é aquilo que eles desejaram durante muito tempo, ou em alguma fase da vida. Não querem deixá-la fugir. Contudo, acham que por dizerem "Quero estar contigo!" estão a infringir as regras, ou a revelar a possibilidade da existência de um sentimento que eles acham que não deveria existir numa relação de puro sexo. O pior é que, nestas coisas, não há verdades absolutas. E também não há coisas que são só brancas ou só negras. A vida e as relações são a cores.

Tudo, aqui.

2 comentários:

Joana disse...

bem dito!

Jedi Master Atomic disse...

Concordo contigo. Nós temos muita tendência a querer dominar a relação, acho que deve ser genético.

Por acaso até hoje, só conheci uma rapariga que estava interessada apenas em sexo e não numa relação. Acho que ainda são um bicho raro...lol