16 de setembro de 2007

Life, oh life!


Depois de ter visto ontem a entrevista de Dalai Lama à RTP, só me ocorrem duas coisas:


a) Cá na sociedade ocidental somos uns infelizes. É verdade, ficamos chateadas se partimos um salto, se o corte de cabelo não ficou bem, se a nossa colega de trabalho fala mal de nós. Ficamos para lá de irritados se o nosso clube de futebol perde um jogo ou se já não há mais cervejas no frigorífico (ok, eu não que odeio cervejas!).
Enquanto isso, o Líder espiritual do Tibete e os seus seguidores ligam muito pouco ou nada a coisas físicas, dando ênfase aos sentimentos, aos Seres Humanos, à alegria, à união.


b) O nosso Governo e o Presidente da Republica são uns medricas, para ser simpática. Mesmo não tendo nada para falar com Dalai Lama, o que tinham a fazer era mandar uma comissão de recepção ao Líder, já que não o quiseram receber, de tanto medo que têm de enfrentar o Governo Chinês. E é por isso que o mundo nos vê como pequenos. Porque nós pômo-nos por baixo dos outros.

5 comentários:

B|g EyE F|sH disse...

é realmente curioso observar o rumo que a nossa , dita perfeita, sociedade leva ... em relação ao governo portugues , de todos os mundos ... ainda se dizem defensores dos direitos humanos? Os interesses económicos à mto que se sobrepuseram às pessoas...

Ricardo disse...

lol.verdade, as economias ja valem mais que direitos humanos, mas ha mts questoes a ter em conta. o dalai lama nao veio como um lider politico, veio como espiritual, e em tal situaçao compreendo a posiçao do governo.mas nao deixa de ser um peso e duas medidas, ja que mts vezes vemos politicos em cerimonias de estado ao lado de bispos e padres catolicos. ainda falamos de laicidade...lool. e ainda outra questao, macau. como ficarao as autoridades chinesas perante a recepçao de uma pessoa à qual eles em pequim odeiam? a partir dai iamos ver ostracismo por parte dos chineses perante os portugueses que estao em macau (que ainda sao alguns). só de nota, refiro que ha mt que a china ignora qualquer tratado internacional, no que se refere a seguranças sociais e preservar a dignidade dos cidadaos, portanto nao é agr que se deve pegar nesse aspecto como cavalo de batalha..

Ricardo disse...

só me esqueci de dizer uma cena. medo do estado chinês? pois claro..e devem...os e.u.a. sao a potencia k sao e estao tds acagaçados! ir atras do tibete como estado independente já é como ir atras do 'reino de preste joao'. é impossivel e impraticavel. se, agr é para ti ines,(é assim k te chamas nao é?), viste na entrevista k o dalai lama ja nem a independencia pede, pk sabe bem la no fundo, k ja nao é possivel. como viste, ja ha mais chineses do ke tibetanos no tibete, portanto, eskeçam la isso...peçam antes autonomia e fim do 'genocidio cultural', que aí esta um verdadeiro cavalo de batalha..
hasta

N.M disse...

Sim o nosso Presidente e o nosso Governo tiveram uma atitude de muito medo...quiseram prestar subserviência á china e não receber o Dalai Lama!!!Muito mau...

100 Sentidos disse...

É da facto interessante essa duscussão.

Mas contudo, e como foi afirmado, o Dalai Lama é um líder espiritual, não político. Como tal, a recepção política não se justifica.

Na minha opinião, a desculpa para não o receberem foi das piores coisas que poderiam ter dito.

Mas honestamente, parece-me que ele deveria ter sido recebido apenas como o Nobel da Paz e não como o líder político, uma vez que não o é de facto.

Ainda assim, não gostei da atitude do Governo português e ñem o Dr. António Costa e a Câmara Municipal de Lisboa conseguiram apagar a péssima figura que o Governo fez!